Siga a LATINA

Notícias

Jesse & Joy divulga ‘Love’ para mês do Orgulho LGBTQ+

Confira clipe com diversos nomes da música latina.

Sofia Sampaio

Postado

em

Jesse & Joy divulga 'Love' para mês do orgulho LGBTQ+

Quem acompanha a dupla de irmãos Jesse & Joy ao longo dos 15 anos de carreira, sabe que eles já foram porta-vozes de muitas campanhas de conscientização social. Nesse mês de junho, em que se celebra o Orgulho da comunidade LGBTQ+, não foi diferente.

Você pode gostar:
Sofía Reyes anuncia ‘Cuando Estás Tu’ com Piso 21
Tini disponibiliza 2º capítulo de Quiero Volver Tour
Reik e Morat lançam La Bella y la Bestia

Pela campanha “Justicia Sin Discriminación” (Justiça sem Descrimanação), organizado pela Organização das Nações contra Droga e Delito (UNODC), o duo tem trabalhado na canção LOVE (Es Nuestro Idioma). A faixa faz parte do álbum lançado recentemente, Aire, e que ganhou um vídeo bem especial nesta segunda (15).

Com muitos artistas e amigos como Luis Fonsi, Maite Perroni, Thalía, Mon Laferte, Sofia Reyes, Kany García, Natalia Jiménez, Llane, Pedro Capó, Juanes, Cali y el Dandee e destaque para Pablo Vittar, o vídeo foi gravado de formada caseira, colorida e divertida.

Ao final do vídeo, duas mensagens bem importantes que, ainda que pareçam óbvias para muitos, é preciso reforça-las nos tempos atuais.

“A orientação sexual não é algo que se pode ou que tenha que curar, as “terapias de conversão” submetem as pessoas à diversos atos de tortura, como privação da liberdade, eletrochoques, violações corretivas e exorcismos entre muitas outras formas de violência”.

“4 a cada 10 jovens reconhecem viver em um espaço hostil que busca mudar sua orientação sexual ou identidade de gênero. A maioria das vezes as crianças são submetidas a “terapias de conversão” pelo desejo de seus familiares de que obedeçam expectativas sociais.  Tristemente, as ECOSIG (terapias de conversão) são praticadas mais do que sabemos e é muito difícil quantificar as vitimas”.

Aqui no Brasil, tais “terapias de conversão” ou “reorientação” são chamadas também de “cura gay”. Se você é ou conhece alguma vítima que precisa de ajuda, procure por uma ONG ou iniciativa LGBTQ+ em sua cidade.

Compartilhe com seus amigos!