Siga a LATINA

Notícias

Música latina: consumo aumenta pelo quarto ano consecutivo

Plataformas de streaming ajudam no crescimento nos EUA.

Sofia Sampaio

Postado

em

Música latina: consumo aumenta pelo quarto ano consecutivo

Com um ano complicado e de impactos em diversos setores da economia global com a pandemia do Coronavírus e o setor musical não escapou da “regra”.

Você também pode gostar:
Barcelona terá concerto sem distanciamento com teste rápido de Covid
Streaming “ajuda” música na Espanha durante a pandemia
Selena: The Series, da Netflix, estreia em dezembro

Ainda que os números entre o primeiro e segundo trimestre de 2020 tenham diferenças significativas devido ao fechamento de lojas e cancelamento de turnês e festivais, a música latina conseguiu manter o crescimento de seu consumo nos EUA.

O relatório da Recording Industry Association aponta um crescimento de 18,6% no consumo da música latina, sendo o quarto ano consecutivo com um percentual de dois dígitos. O responsável pelo resultado positivo é nada menos que o streaming.

Mitch Glazier, diretor executivo da RIAA, reconheceu o impacto positivo dos serviços on-demand. “Os investimentos que os criadores de música fizeram em streaming estão ajudando a sustentar a indústria”, disse em um comunicado oficial. “Mas os impactos do COVID-19 são sentidos nos locais de música fechados e teatros e salas de concerto silenciosos”.

As plataformas digitais de música representam, atualmente, 96% no mercado de música latino. A RIAA aponta que o gênero aumentou a participação nas receitas gerais de música nos EUA para 5,2% e 20,3% na receita total de streaming.

Lado negativo:

A receita dos serviços on-demand apoiados por anúncios (como YouTube, Vevo e a versão gratuita do Spotify) cresceu 10,9% em relação ao mesmo período no ano passado, mas também foi impactada por declínios publicitários no segundo trimestre de 2020, por conta da crise de saúde global.

As receitas de música latina representam 19,9% em comparação as receitas de 7,6% no mercado global. Ainda assim, as vendas digitais e físicas diminuíram, somando apenas 2,7% no mercado. As vendas de download digital de singles e álbuns caíram quase 20% e as remessas físicas de produtos musicais latinos também diminuíram 61,5%.

Há uma parceria da organização comercial com as principais gravadoras pretendem continuar destacando o crescimento e globalização da música latina, principalmente durante o Mês da Herança Hispânica.

Paradas

No Spotify, por exemplo, a música latina aparece em diversos rankings de canções mais escutadas ao redor do mundo. No Top 50 Global da plataforma, nomes como Camilo, Ozuna, Maluma, Karol G, Rauw Alejandro e Farruko (para citar apenas alguns), aparecem entre as mais tocadas no mundo inteiro.

Compartilhe com seus amigos!

error: Este conteúdo é exclusivo da Latina Brasil