Siga a LATINA

Notícias

Selena Gomez está se apropriando da cultura latina?

Selena Gomez, de família mexicana, tem sido alvo de críticas.

Avatar

Postado

em

Selena Gomez lança 1º single em espanhol! Confira 'De Una Vez'

Selena Gomez decidiu apostar em um desejo antigo neste começo de 2021. Há pelo menos dez anos, a cantora expressa a vontade de lançar um material em espanhol e, agora que isso está próximo de acontecer, as discussões sobre a latinidade da artista não param de crescer na web.

Não tinha como ser diferente, é claro. Selena nasceu nos Estados Unidos e começou a dominar o espanhol há pouco tempo. Além disso, durante boa parte de sua carreira, nunca apostou oficialmente em um single em espanhol. Mas afinal, isso anula sua herança latina?

É um tanto simplório dizer que Selena Gomez não pode se dizer latina porque nasceu nos Estados Unidos e é fácil esquecer que lá é um dos epicentros do preconceito com latinos. Depois da estreia de De Una Vez, ficou claro que, para muitos, a artista está se apropriando da (própria?) cultura latina.

Família

Selena Gomez é descendente de mexicanos. Seus avós cruzaram a fronteira do México e Estados Unidos ilegalmente, anos atrás. Seu pai, Ricardo Joel Gómez, nasceu em Guadalajara, no México, e, já nos EUA, conheceu Mandy Teefy, uma então aspirante cantora do Texas. Assim nasceu Selena.

A artista, que começou muito cedo no mundo do entretenimento, tem seu nome como homenagem à Selena Quintanilla, uma das maiores artistas mexicanas de todos os tempos, também nascida no Texas (EUA) e de família mexicana. “Filha” da Disney Channel desde cedo, com a série de sucesso Os Feiticeiros de Waverly Place (2007), Selena é mais um exemplo de que nem tudo é o que parece ser quando você tem um contrato com a emissora – Miley Cyrus e Demi Lovato, da mesma geração de Selena, também exemplificam isto.

Desejo de cantar em espanhol

Em 2011, quando ainda era acompanhada pela banda The Scene, a cantora preparava músicas em espanhol que nunca viram a luz do Sol. “Mal posso esperar para que vocês ouçam minha música em espanhol. Ela soa tão legal”, escreveu no Twitter.

Como muitas cantoras do pop que, de alguma maneira, tem conexão latina, Gomez chegou a lançar regravações em espanhol de singles em inglês, como Un Ano Sin Lluva (A Year Without Rain) e Dices (Who Says).

Em 2013, estreando muito bem o álbum solo Stars Dance, a artista revelou que apesar das tradições latinas da família, não era fluente no idioma. “Na verdade, é uma pena porque eu deveria saber [espanhol] melhor do que sei agora”, disse na época ao ShowBizCafe. “Não sei muito bem porque o lado da família do meu pai, que é o lado mexicano, está no Texas e eu estou sempre viajando e trabalhando, então é difícil para mim. Mas eu gostaria de poder exercitar [o espanhol] e realmente aprender e ser completamente fluente, isso está na minha lista de desejos”. “Eu posso entender uma conversa inteira, mas seria difícil elaborar uma resposta”, concluiu.

Dando um salto no tempo, em 2017 ao Music Choice, Selena Gomez falou um pouco mais sobre a família e cultura latina que, aparentemente, estava mais conectada.

Em 2018, em entrevista à Harper’s Bazaar, a artista relembrou de quando filmava Os Feiticeiros de Waverly Place e foi abordada por uma mãe latina. “Faríamos essas gravações ao vivo todas as sextas-feiras, e em uma sexta havia uma mãe solteira com seus quatro filhos”, disse Selena. “Ela era latina e depois veio até mim, chorando. Seus filhos estavam tão animados, mas eu percebi a mãe, então dei um abraço nela e perguntei: ‘Ei, você está bem?’ E ela disse, ‘É realmente incrível para minhas filhas ver que uma mulher latina pode estar nesta posição e realizar seus sonhos, alguém que não é a típica, sabe, loira de olhos azuis'”.

A artista ainda acrescentou: “Eu sabia o que ela queria dizer. Quando eu era mais jovem, eu era fã de Hillary Duff e lembro de querer ter olhos azuis também. Então acho que reconheci o que isso significava para as pessoas. E isso importa. Recentemente eu vivi coisas com meu pai que são carregadas de preconceito racial”. Na mesma entrevista, ela explicou o motivo de ter separado a carreira e a cultura latina por anos. “[…] Porque não quero que as pessoas me julguem baseado em como eu pareço quando eles não tem ideia de quem eu sou. Agora, mais do que nunca, eu estou orgulhosa disso. Mas preciso aprender melhor espanhol”.

Preconceito

Hoje Selena Gomez não pode ser considerada latina, mas não podemos negar que quando era conveniente para uns, isso não parecia ser um problema.

Em 2015, Justin Bieber participou do programa Roast, do Comedy Central, onde basicamente um artista se senta para ouvir ofensas engraçadas. Óbvio que a relação com a artista foi mencionada: “Selena Gomez queria estar aqui, mas ela está namorando um homem agora. É verdade que você a largou porque ela deixou crescer um bigode antes de você?”, disse Jeff Ross. “É isso, Selena Gomez costumava f** com esse cara, provando mais uma vez que os Mexicanos farão os trabalhos nojentos que Americanos não querem fazer”.

Imigração

No ano passado, Selena Gomez assinou a produção executiva do documentário da Netflix Living Undocumented, que trata da imigração ilegal nos EUA. “Eles acreditam no Sonho Americano. Eles não querem causar dor, porque esse era pra ser um dos melhores países. E ouvi-los ser tão orgulhosos de ser parte do nosso país é lindo. Eles só querem viver saudavelmente, com segurança às suas famílias e crianças. Eles contribuem muito, muito mesmo”, disse.

“Meu objetivo era simplesmente humanizar meu povo, porque eles eram chamados de aliens, criminosos e eu nem consigo imaginar o que essas crianças estão passando separados de suas famílias. É algo que vai traumatiza-las para o resto da vida. E isso parece algo animalesco; é assustador e precisa ser discutido”.

Aqui, cabe dizer que o fato de Selena Gomez fazer um documentário sobre imigração não acaba, obviamente, com o problema, como muitos ironizam nas redes sociais. Mas o fato de, enfim, usar a voz e plataforma que tem para tratar de um tema tão sério em um período onde latinos mais sofrem com o preconceito nos EUA, não deveria perder pontos, e sim o contrário, certo? A artista chegou a escrever para a TIME uma artigo sobre imigração.

Homenagem no Grammy Latino

Depois do lançamento de Rare, no começo de 2020, Bad Bunny a questionou, em entrevista, se ela se sente uma representante latina. A resposta, “200%”, gerou discussões.

“Eu estou sempre falando da minha história, tanto sobre imigrações e meus avós que vieram ilegalmente para cá. Eu não teria nascido se eles não tivessem vindo. Tenho um apreço muito grande pelo meu sobrenome. Relancei muitas músicas em espanhol também, e isso é algo que vai acontecer um pouco mais. Então há muito mais coisa que eu adoraria fazer, porque não considero isso leviano, sou muito orgulhosa”, respondeu.

Também no ano passado, O Latin Grammy, ou Grammy Latino, considerou o nome de Gomez para a homenagem ao Leading Leadies of Entertainment 2020. O prêmio foi uma maneira de reconhecer personalidades femininas com consciência social dentro do campo das artes e entretenimento.

Angela Martinez, advogada no ramo, e Maria Elena Salinas, jornalista de rádio e TV, Goyo, vocalista e cofundadora do grupo ChocQuibTown e Selena Gomez foram reconhecidas na ocisão. Gomez “entrou na lista” pelo trabalho como ativista social e, claro, foi assunto dos internautas sobre sua raiz latina e contribuição à comunidade.

A artista também recebeu o prêmio do Hispanic Herityage Awards, no mês que se celebra a herança hispânica nos EUA, em 2020. A Fundação Hispanic Heritage a reconheceu não somente pela atuação e carreira musical, mas também pelo “seu trabalho como produtora-executiva de conteúdos que destacam a comunidade hispânica, sem mencionar a filantropia”.

“Quero seguir acreditando que é por quem eu sou e não por conta do trabalho que faço, eu espero que isso inspire tantas pessoas a continuar acreditando em seus sonhos, acreditar que eles são capazes, que eles podem – não importa o que”, disse Selena Gomez ao receber, virtualmente, o prêmio. “E estou realmente grata que tenho tantas oportunidades bonitas e por ser a voz nessa comunidade significa muito. E é uma grande responsabilidade e eu amo isso”.

Participações em músicas latinas

Em 2018, Selena foi uma das convidadas do hit mundial Taki Taki, de DJ Snake, ao lado de Cardi B (também de descendência latina) e Ozuna (porto-riquenho). Na canção, Gomez cantou alguns trechos em espanhol.

Já em 2019, participou da canção I Can’t Get Enough, de benny blanco, com J Balvin e produção de Tainy, que tambéma ssina a produção do single inédito em espanhol De Una Vez.

Para muitos, Selena Gomez tem se aproveitado do momento de êxito latino para emplacar um hit. Muitas vezes, muitos artistas apostam em ritmos novos, como o k-pop. A própria Selena lançou Ice Cream com a girlband BLACKPINK, bem como Lady Gaga fez no próprio álbum Chromatica.

É claro que colaborar com um artista de um gênero não é o mesmo que “apostar” em um. Selena Gomez tem, enfim, a autonomia para lançar um projeto totalmente em espanhol depois de anos de carreira, algo que, como dito no começo desse texto, ela já pensava há dez anos.

A discussão sobre a latinidade e/ou exploração de quando se é “conveniente” é extremamente importante e válida, e sempre será. Sobre Selena Gomez, seria muito mais rico se as pessoas não deixassem de considerar as contribuições da cantora ao querer apagar sua herança latina, sua ancestralidade e história que carrega no nome.

Compartilhe com seus amigos!

error: Este conteúdo é exclusivo da Latina Brasil